Plano de Curso: História da Igreja I (2015/S1)

FACULDADE DE TEOLOGIA DE SÃO PAULO
IGREJA PRESBITERIANA INDEPENDENTE DO BRASIL
FATIPI
Curso reconhecido pela Portaria SERES nº 307, publicada no DOU de 31/12/2012
www.fatipi.edu.br
Disciplina:   História da Igreja I (Séc 1–15) Área Disciplinar: Teologia e História
Curso:           Bacharelado em Teologia – 1º Ano Ano/Semestre:    2015 / 1º
Professor:  Eduardo O E M C Chaves Carga Horária:    40 h/a

I. Missão da FATIPI

Formar pessoas nos princípios da fé e da ética cristãs e capacitá-las para liderança transformadora inspirada no amor e na justiça do Reino de Deus.

II. Ementa da Disciplina

A disciplina possibilita a construção de uma visão histórica do Cristianismo a partir da compreensão do processo de seu surgimento, consolidação e institucionalização na Antiguidade (até cerca do ano 500 AD) e de sua evolução na Idade Média (cerca de 500-1500), relacionamento sua história institucional e seu desenvolvimento doutrinário, sempre que possível, à igreja posterior, até o período contemporâneo.

III. Objetivos da Disciplina

Ao final do semestre o aluno deverá ser capaz de:

1. Identificar os principais marcos ou momentos decisivos da história do Cristianismo ao longo dos seus primeiros quinze séculos (compreendendo, portanto, a Antiguidade e época Medieval), situar esses marcos no contexto da História Geral, e entender o seu significado para a história subsequente do Cristianismo

2. Identificar e entender os principais desafios enfrentados pela Igreja Cristã nesse período nos seguintes planos:

  • No plano institucional, o desenvolvimento do modo básico de organização da igreja, das formas encontradas para se manter como instituição (financeiramente, disciplinarmente, etc.) e para resolver divergências e disputas (doutrinárias, morais, práticas, etc.), e das práticas características;
  • No plano doutrinário, a definição das fontes de autoridade, a construção do pensamento teológico em seus vários componentes, o combate a heresias, a busca de ortodoxia;
  • No plano moral, a postura e a forma de agir dos cristãos em sua vida pessoal e a crítica a formas de agir incompatíveis ou alternativas, o papel da lei e da graça;
  • No plano litúrgico, a forma de se congregar e cultuar (adorar) a Deus, o papel da leitura bíblica, da oração, pregação, dos cânticos, dos sacramentos;
  • No plano social, a identificação de diferentes formas de interagir com a sociedade, captar e manter adeptos, adaptar-se a circunstâncias;
  • No plano político, a construção de diferentes formas de interagir com o governo e o Estado, no plano local, nacional ou mesmo transnacional.

3. Identificar e entender as ideias e práticas vigentes na Igreja Cristã ao final do período, de modo a compreender o período subsequente de sua história (o da Reforma Protestante).

IV. Metodologia

A matéria constante do programa será desenvolvida por meio de:

1. Exposições contextualizadoras pelo professor dos temas do programa;

2. Discussões com e entre os alunos dos textos indicados para cada aula, envolvendo toda a classe ou em pequenos grupos;

3. Elaboração de um trabalho escrito que represente um estudo mais aprofundado de um dos temas da disciplina, a ser escolhido de comum acordo entre cada aluno e o professor.

V. Conteúdo Programático

1. O Cristianismo na Antiguidade (ca. 5 AC – 476 AD)

A. Dos Primórdios (ca 5 AC) à Destruição do Templo (70 AD)
  • Jesus de Nazaré: sua Vida e Mensagem no Seio do Judaísmo (4/3 AC – 30 AD)
  • Início do Ministério dos Apóstolos: O Dia de Pentecostes
  • Judeus de Língua Aramaica e Judeus de Língua Grega
  • Judeus e Gentios
  • O Concílio Apostólico de Jerusalém (49-50 AD)
  • O Cristianismo Começa a se Diferenciar do Judaísmo
  • As Viagens Missionárias de Paulo e Outros
  • A Mensagem Paulina: Cristianismo ou Paulinismo?
  • Jesus de Nazaré é Cristificado
  • De Jerusalém a Roma via Atenas
  • A Revolta dos Judeus e a Destruição do Templo
B. Da Destruição do Templo (70 AD) ao Édito de Milão (313 AD)
  • O Período Pós-Apostólico
  • Principais Escritos dos Chamados “Pais Apostólicos”
  • A Religião Civil Romana e as Religiões de Mistério Pagãs
  • O Gnosticismo e Outras Escolas Filosóficas
  • O Início do Trabalho Apologético
  • Os “Pais da Igreja” de Língua Latina e de Língua Grega
  • A Questão da Formação do Cânon
  • As Perseguições por Parte dos Poderes Locais e do Estado Romano
  • As Primeiras Controvérsias Teológicas e Institucionais
  • O Crescimento e a Inserção na Igreja de Diversos Grupos Sociais
  • O Imperador se Cristianiza: a Conversão de Constantino (312)
C. Do Édito de Milão (313) ao Édito de Tessalônica (380)
  • O Cristianismo como Religio Licita no Império Romano (313)
  • A Controvérsia Trinitária
  • O Primeiro Concílio Ecumênico: Nicéia (325)
  • A Consolidação do Pensamento Trinitário no pós-Nicéia
  • Atanásio (de Alexandria) e os “dois Gregórios” (de Nazianzo e de Nissa)
D. Do Édito de Tessalônica (380) ao Fim do Império Romano Ocidental (476)
  • O Cristianismo como Religião de Estado (380)
  • A Consolidação do Cânon e da Autoridade Apostólica
  • A Tradução da Bíblia: a Vulgata Latina
  • Agostinho de Hipona e a Controvérsia Antropológica (Pelagianismo)
  • Disputas entre a Ala “Romana” e a Ala “Bizantina” do Cristianismo
  • A Controvérsia Cristológica: Várias “Heresias” Tentam se Tornar “Ortodoxia”
  • O Quarto Concílio Ecumênico: Calcedônia (451)
  • O Pós-Calcedônia

2. O Cristianismo na Idade Média (476-1455)

A. O Cristianismo na Primeira Parte da Idade Média (476-1054)
a. A Igreja Imperial: O Cristianismo como Religião de Estado (476-800)
  • As Invasões dos “Bárbaros”
  • O Fortalecimento do Papado: Gregório, o Grande (de Roma)
  • A Dificuldade de Lidar com Vários Estados
  • O Trabalho Missionário
  • Arranjos e Acertos Institucionais
  • Os Beneditinos e o Monasticismo
b. O Império Contra-Ataca: Surge o Império Romano “Sacro” no Ocidente (800-1054)
  • Carlos Magno (Charlemagne) tenta reunificar a Europa
  • Recrudescem os Conflitos entre a Igreja “Romana” e a Igreja “Bizantina
  • O Rompimento Final entre a Igreja “Ocidental” e a Igreja “Oriental” (1054)
B. O Cristianismo na Chamada Alta Idade Média (1054-1309)
a. A Igreja Ocidental se Afirma
  • A Igreja Guerreira: Urbano II dá início às Cruzadas
  • A Igreja Militar: Os Templários
  • A Igreja Mendicante: Os Dominicanos e os Franciscanos
  • A Igreja Piedosa: Bernard de Cistércios
b. A Igreja Ocidental Chega ao Auge
  • A Igreja Estudiosa: As Primeiras Universidades e a “Renascença do Século XII”
  • A Igreja Poderosa: Gregório VII e Inocente III levam o Papado ao Auge do Poder
  • A Redescoberta de Aristóteles e sua “Cristianização”
  • Anselmo de Cantuária (Canterbury) e Abelardo de Paris e uma Nova Teologia
  • Tomás de Aquino e o Auge da Escolástica
c. A Igreja Ocidental Entra em Crise
  • O Ataque às Heresias: Os Valdenses e os Albigenses
  • Bonifácio VIII: A Arrogância Resulta em Fracasso
  • A Santa Sé Muda de País: O Papado vai para Avignon (França)
C. O Ocaso da Idade Média (1309-1455)
a. O Papado Entra em Crise
  • A Crise no Papado
  • O “Cisma Ocidental” e a Competição entre os Papas
b. A Busca de Novos Caminhos
  • O Misticismo Medieval
  • Movimentos Reformistas: John Wyclif e John Huss
  • Duns Scotus
  • William de Ockham, o Nominalismo, a Dupla Verdade
  • Marsilius de Padua, a Filosofia Política e a Resistência aos Tiranos
  • A “Devotio Moderna” e o Interesse Renovado em Agostinho
  • A Queda de Constantinopla (1453) e o Fim do Império Romano Oriental

3. A Transição para a Idade Seguinte (1455-1520)

  • A Invenção da Imprensa
  • O Renascimento e a Redescoberta dos Clássicos
  • Erasmo e o Humanismo Cristão
  • O Papado Entra em Crise

VI. Avaliação

1. Uma prova dissertativa obrigatória, no meio do semestre, sobre os temas discutidos em classe e os textos lidos até ali

2. Elaboração de trabalho escrito sobre um tema do programa, escolhido pelo aluno de comum acordo com o professor

3. Uma prova dissertativa, de natureza optativa, no final do semestre, sobre os temas discutidos em classe e os textos lidos, para os alunos que desejarem essa oportunidade

VII. Média Final

Será a média da nota recebida na(s) prova(s) realizada(s) e do trabalho escrito feito, média essa que que poderá ser aumentada em até 10% (dez por cento) com base na qualidade da participação do aluno nas discussões em sala de aula.

VIII. Bibliografia

1. Bibliografia Básica

BETTENSON, Henry. Documentos da Igreja Cristã. 5ª edição. Tradução de Helmuth Alfredo Simon, revista, corrigida e atualizada por Gerson Correia de Lacerda. São Paulo, ASTE, 2011.

DREHER, Martin N. A Igreja no Império Romano. São Leopoldo, Sinodal, 1996. [Republicado como Parte I, “A Igreja no Império Romano”. DREHER, Martin N. História do Povo de Jesus: Uma Leitura Latino-Americana. São Leopoldo, Editora Sinodal, 2013].

DREHER, Martin N. A Igreja no Mundo Medieval. São Leopoldo, Sinodal, 1996. [Republicado como Parte II, “A Igreja no Mundo Medieval”. DREHER, Martin N. História do Povo de Jesus: Uma Leitura Latino-Americana. São Leopoldo, Editora Sinodal, 2013].

TILLICH, Paul. História do Pensamento Cristão. 4a edição. Tradução de Jaci Maraschin. São Paulo, ASTE, 2007.

WALKER, Williston, com complementação de Richard A. Norris, David W. Lotz e Robert T. Handy. História da Igreja Cristã. 3ª edição brasileira (traduzida da 4a edição americana). Tradução de Paulo Siepierski. São Paulo, ASTE, 2006.

2. Bibliografia Complementar

CAIRNS, Earle E. O Cristianismo Através dos Séculos. Uma História da Igreja Cristã. 3a edição, revisada e ampliada. Tradução de Israel Belo de Azevedo e Valdemar Kroker. São Paulo: Vida Nova, 2008.

GONZALEZ, Justus. Uma História ilustrada do Cristianismo, vol. 1: A Era dos Mártires. São Paulo: Vida Nova, 1978. [Republicado em GONZÁLEZ, Justo L. História Ilustrada do Cristianismo, em dois volumes, v.1, “A Era dos Mártires até a Era dos Sonhos Frustrados”, Parte 1. 2ª edição, revisada. Tradução de Key Yuasa. São Paulo, Vida Nova, 2011].

____________ Uma História ilustrada do Cristianismo, vol. 2: A Era dos Gigantes. São Paulo: Vida Nova, 1978. [Republicado em GONZÁLEZ, Justo L. História Ilustrada do Cristianismo, em dois volumes, v.1, “A Era dos Mártires até a Era dos Sonhos Frustrados”, Parte 2. 2ª edição, revisada. Tradução de Hans Udo Fuchs. São Paulo, Vida Nova, 2011].

____________ Uma História ilustrada do Cristianismo, vol. 3: A Era das Trevas. São Paulo: Vida Nova, 1978. [Republicado em GONZÁLEZ, Justo L. História Ilustrada do Cristianismo, em dois volumes, v.1: “A Era dos Mártires até a Era dos Sonhos Frustrados”, Parte 3. 2ª edição, revisada. Tradução de Hans Udo Fuchs. São Paulo, Vida Nova, 2011].

____________ Uma História ilustrada do Cristianismo, vol. 4: A Era dos Altos Ideais. São Paulo: Vida Nova, 1978. [Republicado em GONZÁLEZ, Justo L. História Ilustrada do Cristianismo, em dois volumes, v.1: “A Era dos Mártires até a Era dos Sonhos Frustrados”, Parte 4. 2ª edição, revisada. Tradução de Hans Udo Fuchs. São Paulo, Vida Nova, 2011].

____________ Uma História ilustrada do Cristianismo, vol. 5: A Era dos Sonhos Frustrados. São Paulo: Vida Nova, 1978. [Republicado em GONZÁLEZ, Justo L. História Ilustrada do Cristianismo, em dois volumes, v.1: “A Era dos Mártires até a Era dos Sonhos Frustrados”, Parte 5. 2ª edição, revisada. Tradução de Hans Udo Fuchs. São Paulo, Vida Nova, 2011].

HÄGGLUND, Bengt. História da Teologia. 5a Edição. Traduzido por Mário L. Rehfeldt e Gladis Knack Rehfeldt. Porto Alegre, Concórdia Editora, 1995.

KAUFMANN, Thomas; KOTTJE, Raymund; MOELLER, Berndt; WOLFF, Hubert; Orgs. História Ecumênica da Igreja. Volume 1: “Dos Primórdios Até a Idade Média”. Tradução de Irineu J. Rabuske. São Paulo, Paulus; São Leopoldo, Editora Sinodal; São Paulo, Edições Loyola; 2012.

KAUFMANN, Thomas; KOTTJE, Raymund; MOELLER, Berndt; WOLFF, Hubert; Orgs. História Ecumênica da Igreja. Volume 2: “Da Alta Idade Média Até o Início da Idade Moderna”. Tradução de Irineu J. Rabuske. São Paulo, Paulus; São Leopoldo, Editora Sinodal; São Paulo, Edições Loyola; 2012.

SHELLEY, Bruce L. História do Cristianismo ao Alcance de Todos. Tradução de Vivian Nunes do Amaral. São Paulo, Shedd Publicações, 2004.

3. Blog com Material Complementar Adicional

Recomenda-se aos alunos que acompanhem o Blog “História da Igreja”, mantido pelo professor, que conterá material suplementar às aulas e às leituras:

http://historiadaigreja.info/

A “Filosofia Pedagógica” do professor — que discute como ele vê o seu papel na construção da aprendizagem dos alunos — está resumida no seguinte artigo: “Educação, Aprendizagem e Ensinagem (Com Foco na Educação Superior)”, publicado no Blog, no seguinte endereço:

http://historiadaigreja.info/2014/11/01/educacao-aprendizagem-e-ensinagem-com-foco-na-educacao-de-nivel-superior/

O professor sugere, enfaticamente, que todos os alunos leiam esse artigo como primeira leitura do curso.

São Paulo, 2 de Fevereiro de 2015 (revisto em 11 de Fevereiro de 2015)

Eduardo Chaves
eduardochaves@fatipi.edu.br [Oficial]
echaves@fatipi.net [Alternativo]

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s